Arrepio Produções
iTSITES Tecnologia
FacebookTwitterYouTube

Entrevistas

DZK

2 de janeiro de 2013

 A Banda  resiste ao sistema capitalista desde 1982.Tocam punk rock,seus integrantes moram no ABC Paulista, a califórnia brasileira. Durante esses 30 anos,foram gravados 4 cds,varias coletaneas e feitos muitos shows. A entrevista abaixo foi concedida pelo vocalista Manoel Aparecido da Silva, mais conhecido como "Barata". Além de vocalista do DZK ( Dizikilibriu Social ),Barata também é funileiro e radialista. Suas  principais influencias: Rezillos, Ramones, Klamidia, Cólera, Desespero, Calibre 12, Sex Pistols, The Clash, 999, Damned, Iggy Pop, Passeatas, Ratos de Porão, Lixo Suburbano, Incidente, Ato Público, Social Chaos, Resistência Punk e mais uma uma infinidade de bandas de Punk Rock e Hardcore. Barata é natural de Alagoas.

 

ARREPIO: A DZK existe desde 1982,possui 4 cds ,participou de várias coletâneas e compactos. Explique melhor como resistir e existir durante todo esse tempo?

Primeiramente resisitimos porque o punk é nossa vida, nossa luta. Ainda estamos presentes todo esse tempo , levando o punk rock tradicional, com um ideal de um mundo melhor para todos, e assim procuramos sempre manter a chama do punk acessa sempre, essa ainda é razão de existirmos.

ARREPIO: Gostaria que você comentasse como foi a repercussão do tributo a banda,lançado pela Corsário Discos e se ainda tem o material disponível em catálogo?

Para nós do dzk foi maravilhoso poder participar e ver tudo isso em vida,muito gratificante ver todo o esforço das bandas para participar,que por sinal tocaram melhor que nós. O tributo ficou por um tempo na gaveta ,por falta de grana para lançar, o xinez da banda Excomungados e dono da Garimpo Cultural e do seu selo Corsario Disco ,junto com a Dunga realizaram esse trabalho para que fosse prensado.Ainda temos material disponivel, pode ser encontrado com a  dunga pelo site da banda onde tem todas informacões,www.bandadzk.com

ARREPIO: Você poderia avaliar a carreira da banda ( desde quando se chamavam Decadência Social),pontuando os altos e baixos ?

 O Decadencia teve uma importancia por participar do festival  Começo do fim do Mundo,depois a banda acabou sobrando apenas o batera makarrão, que não podendo mais usar o nome preferiu colocar Dzikilibriu Social - DZK,com uma mina no vocal gravaram uma musica no Ronda Alternativa com a musica juventude,depois dessa participação  a vocalista junto com o guitarrista deixaram a banda.Eu ja vinha de uma banda chamada Desespero  que também durou pouco, e acabei vindo para o DZK  por já conhecer a galera.Entrei com objetivo de levar a banda ate o fim da minha vida  e ainda aqui estou. Pontos altos: ver que todo esse tempo ainda tem pessoas que nos acomponha nos apoia nos show nos respeita por ainda estamos  nos mantendo na cena!

Pontos baixos: são as brigas as diferenças que ainda existe dentro do movimento, existe muita fofoca que acaba dividindo a cena envolvendo o nome punk nisso.

ARREPIO: Com a decadência do formato cd, outras mídias tem suprido o mercado? Quais?

Pelo que sei, ainda se vende cd. Pouco é claro, mas vende!.Mesmo assim preferimos ainda lança-los para ter o material fisico, hoje a galera  tem acesso facil para baixar musicas pela net,mas acho que não tem outra midia que supra tudo isso a não ser a internet que facilita voce poder baixar as musicas e compartilhar em rede.

ARREPIO: Em 2006 foi lançado o disco “ Fui Punk”. Explique melhor o que há por trás deste título tão sugestivo...

Na verdade, o titulo é o nome da musica. Fui punk minha vida inteira. Como o nome era muito grande preferimos chamar só fui punk,mas também nos questionamos por ficar só fui punk ,que a galera podia não entender,mas por outro lado seria legal para mexer mesmo com a galera de ficarem a falar: tá vendo não são mais punk, e depois disso tudo essas mesmas pessoas nos vê aqui ainda participando de tudo isso, e hoje analisam a letra da musica  e vê que tem uma puta mensagen positiva que passamos e vivemos.

ARREPIO: Desde o primeiro disco, os temas utilizados nas letras sempre retratam a nossa realidade de forma positiva. Como passar uma mensagem positiva em meio ao caos em que vivemos?

Os conflitos sempre existirão,e cabe a nós e a todos envolvidos na cena, terem cosciencia de que o punk esta aqui sempre a protestar, de forma positiva e consciente.

ARREPIO: Qual a visão pessoal de vocês sobre o underground dos anos 80 e o atual? O que mudou?

Os anos 80 é o começo de tudo.Formar banda, carregar equipamentos no onibus e trem para poder ensaiar e fazer show, anos 90 começa o Hardcore, e atualmente metal punk, mas sempre o nome punk envolvido em tudo, hoje é muito mais facil para se gravar e fazer show por causa da internet, que ajuda bastante a marcar show  e manter contatos.

ARREPIO: DZK – 10% DOMINANDO e 90% DOMINADO,é isso mesmo?

Isso mesmo. É uma maioria sendo dominado por uma minoria que tem o poder sobre você, isso é um dizikilibriu social queremos a igualdade de classe.

ARREPIO: Quais bandas você ouve atualmente?

Ficaria dificil citar isso,porque escuto tudo que é banda que faz parte da cena punk,tanto gringas como as nacionais que são bastante,escutamos de tudo.

ARREPIO: Valeu pela entrevista. Continuem disseminando o bom e velho punk rock de forma honesta e divertida. Se quiserem deixar algum recado... Discografia e contatos...

Valeu pela força sempre! Por estar você também ajudando a fortalecer a cena punk, para chegar ate aonde nos estamos,é preciso acreditar e arregaçar as mangas,pois sem suor nada acontece por isso faça!!! mas faça agora!!! espero poder fazer um show ai para todos em breve, tem punk aí ? tem punk aqui.
contatos:você pode encontrar toda discografia  e contatos para show no site da banda

www.bandadzk.com  

 punk sempre!!!punk!!!

Fim da Entrevista

Compartilhe

 

Outras Entrevistas

Murder Worship
© 2009-2017 - Arrepio Produções - Patos de Minas - MG
FacebookTwitterFeed RSSE-mailYouTube